25.1.07

Soma.



Começou mais uma noite nas esquinas em que o fogo apaga as memórias do que foi um dia, e em contrapartida já nem parece se importar em perceber o quanto desandou.
E se vive de verdade? Se vive das verdades compradas em becos sujos.
Uma rosa, um escarro, dedos queimados, assina o contrato sobre o que deve ceder,
para tornar mais fácil deixar escapar pelas mãos os segundos que não quiser ver,
e tornar aceitável a rendição...
De joelhos não pode ver que os pés não pisam no chão.

Fermenta esta tarde, carbura o instante, dissolve o medo em doses espontâneas.
Ignora qualquer grito, trancende todo o vício, com o prazer de arrancar a alma pela solidão.




(blog abandonado às traças e com recordes negativos de comentários e vizitas...)

5.1.07

(fiz no reveion, ainda não tem nome, e não garanto que esteja pronto)




Se agora o fim do mundo em um segundo
Declamar a morte, haverá em sua face o corte
Que grita pelo o que viver?

Eu ainda me lembro de nossas mãos aqui,
De cada vez que sonhamos alcançar algo melhor.

Extendo os braços pra tocar as sombras de algum lugar
E mesmo com os pés no chão não há tempo de hesitar


Estas correntes são tão fracas
Aumente o grito pra tentar dobrar o céu mais uma vez
(vamos) Queimar o silêncio da história
Estas ruas que cantarão a glória de heróis sutis


Nos controla o medo de queimar
Mas quais histórias vamos contar
Para as hárpias quando chegarmos lá?!

Enquanto deixamos o tempo correr
Poderemos realmente sorrir
Enquanto não formos Deuses de si?!

29.12.06

ando com preguiça de postar.

as férias me deixaram improdutivo, só saio pra esbórnia e morgo nesse computador de merda, sem desenhar nem escrever nada, nem fazer nada de útil.

mentira, to lendo um livro legal.


amanhã viajo cedão, espero que saia algo de bom daí.


então, é isso, até ano que vem!!

não bebam demais e usem camisinha!!

25.12.06






consumismo desenfreado diminui a qualidade de vida.
shopping vicia. diga não ao consumismo.
compramos sua caridade em 12x sem júrus
natal: a desculpa que você precisava para satisfazer as suas necessidades consumistas
compre aqui o seu espírito natalino

VENDA-SE

no dia 23 de dezembro os felizes consumidores que passeavam pelo shopping rio sul fazendo suas compras de natal foram surpreendidos por um estranho grupo de "consumidores" que passeavam pelo shopping com sacolas de compras e faixas com estranhos dizeres, como os citados ali em cima.
alguns pensaram ser trote de faculdade(como sempre), outros imaginaram ser um grupo de teatro, e alguns até disseram que era ridículo.
a maioria, porém, pareceu ter compreendido que na verdade se tratava de uma manifestação que questionava o consumismo desenfreado desta época do ano, que deveria ser marcada por um tal espírito de paz e união, mas que é atropelada pela necessidade de comprar comprar comprar.

esperamos que estas frases tenham despertado o mínimo de reflexão nas pessoas, que estas parem para pensar A SÉRIO em suas ações e em seu papel dentro desta sociedade, e o que podem fazer para mudar ao menos o mínimo nessa sociedade e nesse mundo.


pensem um pouco. já que fim de ano é sempre esse tal "momento de reflexão" e é agora que as pessoas param, o deveriam parar, para pensar na vida e no que têm feito, aproveite para se lembrar que o mundo não é nem de perto o que deveria, e principalmente, o que PODERIA ser.



você também pode ser um herói.





ouvindo Dead Fish - 'Hoje'

18.12.06

IMPORTANTÍSSIMO:

.......................................................................


TAMBÉM IMPORTANTÍSSIMO:

MANIFESTAÇÃO RELÂMPAGO CONTRA O CONSUMISMO DESENFREADO NO NATAL!!!


Como todos deveriam saber, o natal é uma data cristã, que celebra o nascimento de Jesus Cristo, e propõe reviver seus ideais de paz, bondade, amor, compaixão e etc.

Porém nosso porco sistema, assim como faz com tudo o que se propõe a ser bom, se apoderou do natal, tornando-o uma data puramente comercial e vazia.

Por trás da disseminação de uma idéia de “é bom dar presente para quem se ama”, existe toda preocupação comercial em fazer com que as pessoas comprem mais e mais e mais, e para isso criou-se um mercado natalino, com produtos típicos da época e etc.

É claro que há pessoas que celebram essa data pensando realmente nos ideais de paz e união, bondade e compaixão. Porém a maioria das pessoas é iludida pelas propagandas natalinas e estimuladas a usar esta data como uma desculpa para satisfazer seus impulsos materialistas.

Acredito que as poucas pessoas que lêem isso aqui têm uma visão muito mais humana e solidária das coisas, e acho que protestar contra esse consumismo é uma forma de fazer as outras pessoas se questionarem sobre o real significado do natal, e como elas agem nessa data, e até em todos os outros dias de suas vidas.


Idéia do ato: um grupo se concentra discretamente em um ponto determinado de um “shopping center”, e de repente levanta placas que simbolizem a comercialização do ser humano, se transformando temporariamente em produtos, e assim fazendo um leilão de pessoas! Após um minuto e meio (lembrem-se, é uma flashmob), uma frase de efeito é dita, e assim os manifestantes se dispersam.


Informações técnicas:

Ponto de encontro: entrada lateral do shopping Rio Sul, do lado de fora (aquela perto da saída dos carros da garagem, onde tem a subida praquela torre do Rio Sul), em Botafogo.

Dia: 23 de dezembro, sábado, antevéspera de natal.

Hora: concentração às 16h, saída às 16:30h.

Local da manifestação: algum local no interior do shopping, e aceito sugestões, mas o ideal é que seja bem próximo às escadas rolantes, para que facilite a nossa dispersão.

Material: placas com dizeres do tipo “à venda”, “R$ 1,99”, “3x sem jurus no cartão”, “aceito cartão de crédito”, “leve 3 pague 2”, nessa linha.

Duração: não mais do que um minuto e meio, para que não dê tempo dos seguranças nos pegarem, e para que a manifestação não fique descaracterizada.


Durante a concentração, a idéia é discutirmos mais detalhadamente as instruções, para que não dê nada errado.





QUEM NÃO FOR NOS DOIS É CONSUMISTA CONFORMISTA E PELA SACO!!!

12.12.06

serviço de utilidade pública:


para quem não se lembra da história completa da dona dora e do ném, vê mais abaixo aí o panfleto do outro ato.

e perdôem os erros de português, não fui eu que fiz.

outras convocações:

FREE HUGS - DISTRIBUIÇÃO DE ABRAÇOS GRÁTIS PELAS RUAS!!!
sexta-feira, 15/12. às 14h na Cinelândia!!
informações: http://www.orkut.com/CommEvent.aspx?cmm=23425849&crt=22047370&dat=1166151600

REUNIÃO DE CONSTRUÇÃO DE UM MPL - MOVIMENTO PELO PASSE LIVRE - CONTRA O AUMENTO DAS TARIFAS DE ÔNIBUS!!
sexta-feira, 15/12. às 18h no IFCS - Largo de São Francisco, perto da Carioca.


COMPAREÇAM!!!

.......................................................

agora poesia:


Homem


Eu sou o arrependimento do álcool e do sexo
Eu sou a moral corrompida por facínio
Eu sou incapaz de amar alguém
E sou o absurdo sonhado, que não se conta a ninguém

Eu sou o fim do princípio, a morte da lágrima
Carbono e nitrogênio sintetizados
Eu me vejo acima do carbono
E estou em lugar nenhum.

Eu sou a satisfação por trás do ódio
Eu sou o contentamento disfarçado de angúsita
E sou a angústia disfarçada na alegria.
Eu sou o medo da morte e dos outros.

Eu a verdade no alto do prédio
Disposta a pular caso corra algum risco.
E quando corro algum risco eu fujo.
Eu sou o dia-a-dia na cidade suja.

Eu sou o nada moderno,
apenas para acreditar em alguma coisa.
Eu quero ser o que já foi,
O que será está longe de mim.

Eu sou prazer proibido-permitido
A ressaca pior que todas as outras
Moral, ética e sofrida.
E sou aquele que sofre por prazer.

Eu sou náusea, contrasenso,
Duelos de egos, mentiras, verdades e conhaque.
Eu sou hipócrita, eu sou escarro.

Eu sou o que vocês são,
Eu sou o que nós somos...



.... achei bizarro, e na verdade não sei nem se eu realmente gosto dele, mas resolvi publicar por falta do que postar.

11.12.06

já que eu sou pela-saco e ninguém comentou no post anterior, que era super lindo e emocionante, vou entrar na nova modinha:


Noção de Nada

1. Você é homem ou mulher?
Feio.

2. Descreva-se:
Mentiras, verdades e conhaque.

3. O que as pessoas acham de você?
Diploma.

4. Como descreveria seu último relacionamento amoroso?
Não aprendi com a última vez.

5. Descreva sua atual relação com seu namorado ou pretendente:
Orgânico.

6. Onde queria estar agora?
Esquina C. Gardel... mas estou em Copacabana.

7. O que pensa a respeito do amor?
Suja a roupa, mas lava a alma.

8. Como é sua vida?
Impar.

9. O que pediria se pudesse ter apenas um desejo?
Garçom, sem gelo por favor.

10. Escreva uma frase sábia:
Conselhos não fizeram mais por mim.