5.1.07

(fiz no reveion, ainda não tem nome, e não garanto que esteja pronto)




Se agora o fim do mundo em um segundo
Declamar a morte, haverá em sua face o corte
Que grita pelo o que viver?

Eu ainda me lembro de nossas mãos aqui,
De cada vez que sonhamos alcançar algo melhor.

Extendo os braços pra tocar as sombras de algum lugar
E mesmo com os pés no chão não há tempo de hesitar


Estas correntes são tão fracas
Aumente o grito pra tentar dobrar o céu mais uma vez
(vamos) Queimar o silêncio da história
Estas ruas que cantarão a glória de heróis sutis


Nos controla o medo de queimar
Mas quais histórias vamos contar
Para as hárpias quando chegarmos lá?!

Enquanto deixamos o tempo correr
Poderemos realmente sorrir
Enquanto não formos Deuses de si?!

1 Comments:

Anonymous Joana said...

eu gostei.
acho dificil nao gostar de um texto que voce faca, porque sao sempre bons e tal!

:)
beijos

17:59  

Postar um comentário

<< Home